Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Julgamento.

Ana Maria Leal
Dezembro 28/ 2017

Conversei com o presidente do PT em Carazinho, Paulo Schettert, nesta quinta-feira (28), para saber se o PT local pretende participar em Porto Alegre dos atos pró-Lula que o PT nacional está organizando.

Há um chamamento da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e do PT nacional para que a partir de hoje, 28 de dezembro, e até o dia 24 de janeiro, militantes do partido participem de um movimento de resistência em Porto Alegre.

O motivo é que está marcado para o dia 24 de janeiro, às 8h, o julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) na capital gaúcha, em segunda instância, do chamado processo do tríplex, que pode determinar a participação do ex-presidente Lula nas eleições de 2018. Lula está condenado a 9 anos e meio de prisão em primeira instância, pelo juiz Sergio Moro, pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Coincidentemente o julgamento cai no dia do aniversário de Carazinho, feriado municipal.

Mas, voltando ao PT. Antes do dia 24, precisamente no dia 13 (número do partido), está marcado um Dia Nacional de Mobilização pró-Lula. O PT nacional chama o julgamento de um desfecho para ''completar o golpe iniciado com o impeachment da presidente Dilma''.

A partir do dia 20 o partido planeja em Porto Alegre até a instalação do acampamento do MST.

Schettert me disse que pode haver representatividade de Carazinho, mas os detalhes ainda serão definidos com o PT-RS.

Em tempo: Para evitar problemas como ocorridos no Paraná quando Lula foi ouvido por Sérgio Moro, está sendo montada uma estrutura em Porto Alegre para as manifestações do PT. Conforme publicado pelo jornalista Polibio Braga, círculos de proteção serão acionados pela Brigada Militar além de monitoramento de tropas treinadas em operações anti-motins do Exército.




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais