Pery Sommer Pereira.

PEQUENAS EMPRESAS COM VIDA NOVA. QUANDO?

Ouvinte
Dezembro 06/ 2017

Somente através de grandes decisões politicas que tragam soluções práticas a este problema de varejo o tema fluirá. Parece então que agora, de acordo com anúncios do governo federal um grande programa de financiamentos a este segmento finalmente sairá do papel e isto de acordo com palavras do Presidente Temer. Com promessa inclusive de abrir de vez a Caixa Preta do BNDES, reconhecendo a representatividade do setor em mais de 95% e participando com 56% na geração de empregos. Como os recursos, ao que parece, estão voltando aos seus devidos lugares, seguramente teremos um rigoroso trabalho de cadastramento dos pretendentes que realmente gozarão dos anunciados e bem vindos recursos para desenvolverem-se. Antes tarde do que nunca. Um dia queira Deus, ''Todos seremos grandes com as pequenas empresas''.

É o momento para estabelecer-se um grande movimento representativo ROBUSTO e CONSTANTE sem demagogias e/ou figurações e convivendo permanentemente com as entidades que realmente abram suas portas recebendo os pequenos e micro empresários. Destaco pontualmente nosso SEBRAE que sem duvidas presta relevantes serviços e se mais não faz é porque sofre determinadas limitações.

Estamos ao lado do país TERCEIRO MAIOR COMPRADOR de nossos produtos, a Argentina que perde somente para os Estados Unidos e China, parece até incrível prezado leitor.

Sugiro que se estabeleça, via Sebrae, um trabalho permanente de representatividade em pontos estratégicos no território de nossos irmãos vizinhos sendo; Grande Buenos Aires, Cordoba, Rosario, Mendosa, Misiones, Santa Fé e outros. Todos possuem Câmaras de Comercio e Indústria e/ou Confederações Empresariais e ainda o Banco La Nacion que sempre também atende com a máxima atenção quando procurado para informações. Fundamental seria o estabelecimento de visitas periódicas as diversas regiões pelos técnicos da nossa entidade citada acima levando amostragem de nossos produtos (RGS) e trazendo a deles para apresentar-se a nossos potenciais compradores. A estrada a percorrer precisa ser de duas mãos como exige uma verdadeira integração entre nações civilizadas e los Hermanos que façam o mesmo. Aqui no estado precisaremos abrir o leque estabelecendo diversas micro regiões para decentralizar as ações e criando-se Consórcios de Exportação e Importação colher o melhor resultado para todos. O tema é um pouco longo e para encerrar por ora cito o exemplo de países da Europa no pós 2ª Guerra Mundial e em especial a Alemanha que saindo das cinzas//escombros tomou atitude praticamente igual, LEVANTOU-SE E NOS DEIXOU NA POEIRA DE SEU DESENVOLVIMENTO NOVO. Trabalho semelhante poderá se fazer com Chile, Uruguai e Paraguai na ampliação de negócios.

Apesar da idade e na condição de aposentado faceiro aqui sempre estarei ao dispor para colaborar em algo e sempre louvando-me no pensamento do saudoso pai que dizia; VELHO QUE NÃO ANDA, DESANDA.  Até sempre.

Pery Sommer Pereira - ''Viajante no Mercosul''.

www.conesulemnoticias.blogspot.com




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais