Coluna dos apaixonados pelo Colorado

Adeus série B

Anderson Amaral
Novembro 27/ 2017

E a Série B terminou. Lá se foi um ano de muita angústia, ansiedade e preocupação.

Após a última rodada da Série B, várias reflexões têm que ser feitas, mas uma é preponderante: ?Não desejo isso nem a meu pior inimigo?. E foi assim mesmo, porque 2017 iniciou para nós colorados como um ano atípico, pois pela primeira vez não figurávamos na elite do futebol, tendo que obter a classificação para o retorno em 2018. 

Foi uma campanha de altos e baixos, oscilando como uma montanha russa, tendo como ponto positivo as 11 vitórias em 13 jogos, que impulsionaram o time para a primeira classificação. Mas como tudo que sobe um dia desce, nas últimas rodadas o time vacilou, permitindo que o América MG assumisse a liderança, o que veio a se consolidar, mesmo com a vitória obtida sábado, no Beira Rio, contra o Guarani-SP.

De qualquer forma, a classificação veio, até com antecedência, mas o futebol apresentado não nos garante vida fácil em 2018, pelo contrário, com este time, com certeza, teríamos que novamente brigar para se manter na Série A. 

Vários jogadores deverão ser dispensados e outros contratados, porque o nível de exigência será muito maior, não permitindo vacilo, como por exemplo, derrotas e empates no Beira Rio.

O que ficou de positivo foi o apoio incondicional da torcida, que mesmo sofrendo  com as gozações dos rivais, com resultados não animadores, esteve presente em todos os jogos, com média de público superior a 20.000 pessoas no Beira Rio e com bom número em todos os confrontos nos domínios dos adversários.

Espera-se que os dirigentes tenham apreendido a lição, especialmente a gestão de 2016, quando a pior administração da história do clube tornou nosso colorado um mau exemplo de clube e instituição. Mas também, nós sócios e torcedores, temos que ter mais consciência quando escolhermos os dirigentes, pois o ex Presidente Píffero, protagonista do rebaixamento, foi eleito Presidente com os votos dos associados em 2014.

O ano de 2018 já iniciou sábado, como anúncio do novo Técnico Odair, ex jogador, mas que desde o ano de 2010 trabalha no Internacional, tendo sido assistente de inúmeros treinadores nestes 7 anos, conhecendo todos os jogadores e o funcionamento interno do Internacional. Realmente se trata de uma aposta, tendo a Diretoria atual se valido do exemplo do Corinthians, que em 2017 apostou em Fábio Carille, ex assistente, que virou treinador e hoje comemora o título do Brasileirão 2017, obtido de forma indiscutível e sem que persistam dúvidas quanto a sua licitude.

A efetivação de Odair Hellmann não agradou em cheio a torcida, a qual esperava um treinador de renome que pudesse tomar conta do vestiário, principalmente remontando o time para a difícil tarefa de recomeçar.

Tomara que o ano de 2018 seja para os colorados o reinício de títulos e conquistas, retomando o rumo das vitórias e dos feitos relevantes, vivendo a brilhar....

Grande Abraço. 




E-mail:
Compartilhe esta coluna em suas redes sociais