Coluna Circulando e a política em Carazinho.

De volta.

Ana Maria Leal
Novembro 07/ 2017

Ivomar de Andrade, o Tomate, é novamente petebista.

A confirmação partiu do presidente do PTB em Carazinho, Flávio Lammel, em entrevista hoje para a Rádio Gazeta.

Lammel contou que por iniciativa do ministro Ronaldo Nogueira, do vice-presidente do PTB, Paulo Arsego, e do ex-presidente Wilson Moreira, e com a presença do próprio Lammel, houve uma reunião na qual foi resolvido conversar com Tomate para tratar dos motivos de sua desfiliação.

Lammel não deixou claro se foi Tomate quem procurou o PTB para voltar ou se foi o PTB que procurou Tomate. Deu a entender que houve tanto o interesse de Tomate em voltar quanto do PTB em que ele voltasse.

''A nova direção do partido tem ideias de construir pontes, ter todas as pessoas que possam ajudar para o desenvolvimento do PTB, da política, e de Carazinho. Acertamos isso com o Tomate, está bem encaminhado o seu retorno, é o suplente de vereador, foi muito bem votado, vai nos auxiliar na caminhada que o PTB terá em Carazinho daqui para frente''.

Ainda segundo Lammel a volta de Tomate não terá um anúncio oficial, um ato específico para sua apresentação.

Isso ocorre quatro meses de o sindicalista ter revelado a desfiliação, em entrevista para a Rádio Gazeta no dia 19 de julho deste ano.  

Segundo Lammel o afastamento está superado. ''Vamos dizer assim, teve um momento que ele resolveu se desfiliar, pensou bem e resolveu voltar, e está sendo muito bem recebido. As divergências que havia foram superadas, vamos construir uma boa relação com ele, respeitamos muito o Tomate, o Arsego foi parceiro dele na eleição do ano passado, e todos tem uma relação muito boa com ele''.

Ivomar de Andrade não foi localizado pela reportagem nesta terça-feira quando poderia responder sobre os motivos de ter voltado ao PTB.

Evidente que deve ter pesado o fato de que está caindo no colo do partido uma vaga na câmara de vereadores daqui a pouco tempo, com a tendência da maioria no legislativo em cassar o vereador Clayton Pereira (SDD). Tomate é o primeiro suplente.

Como Tomate não foi encontrado hoje, resgatei um trecho do que disse em julho sobre a atitude de deixar o PTB: ''A decisão fica clara como sindicalista. Represento uma entidade que envolve mais de 8 mil trabalhadores na sua base de atuação, me senti traído em questão de um partido que tem origem e berço trabalhista em seis meses destruir o que levou 13 anos para existir, a nossa CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), um partido que ignorou sua base e sua origem, não me sinto à vontade de pertencer a  um partido que traiu a classe trabalhadora, e diante da participação do PTB nesse processo de traição à classe trabalhadora, de se manifestar contrario às suas bases e origens, acho que Getúlio Vargas está se remoendo onde está. Não é normal um partido fazer o que fez e simplesmente por interesses particulares, por interesses financeiros, por interesses de status de poder, de ocupar funções, cargos, ignorou a sua origem; Como eu, sindicalista, poderia permanecer num partido que ignorou esse diploma legal que é a nossa CLT?''.

A foto do Circulando é meramente ilustrativa. Fiz em julho de 2016, durante homenagem feita pelo Sindicato dos Comerciários de Carazinho e Região, presidido por Tomate, ao ministro Ronaldo Nogueira, no Patronato Santo Antônio, em Carazinho.







Compartilhe esta coluna em suas redes sociais