Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Todos pré?

Ana Maria Leal
Outubro 03/ 2017

A um ano das eleições 2018 não há muita movimentação em Carazinho dos partidos quanto aos nomes que devem disputar cadeiras na assembleia legislativa estadual e câmara federal.

Talvez o cuidado seja para não expor excessivamente políticos que vão sofrer um desgaste natural, correndo o risco de chegar na campanha tão frios que não vão conseguir emplacar uma boa soma de votos nas urnas.

Como algumas pessoas me perguntaram sobre quem seriam os nomes que poderão ser apresentados aos eleitores lá na frente, diante das especulações que ouvimos por aí, encontrei esses pré-candidatos, por ordem alfabética:

-Edison Tadeu Cezimbra pelo PMDB. É vereador em Sarandi e ocupa a cadeira de presidente no legislativo municipal, porém suas relações com Carazinho são amplas pois como delegado regional de polícia sua sede é em Carazinho.

-Flávio Lammel pelo PTB. Concorreu em 2014 pelo PDT, somou 29.244 votos e ficou na suplência. Mudou para o PTB neste ano e vai contar na campanha com o apoio de um aliado da época do PDT, Anselmo Britzke, o Gauchinho.

-Rafael Piva pelo PR. Pretende concorrer pela primeira vez. Ainda não oficializou sua saída do atual partido, o PMDB.

-Renato Suss. Pela primeira vez em que concorreu foi eleito prefeito de Carazinho pelo PDT e hoje está sem partido, aparentemente afastado da política, mas eu soube que pode ser convencido a uma nova filiação e até a disputar uma eleição para deputado estadual. Dizem que basta uma boa insistência pois tem sentido bastante falta do ambiente político.

Se é verdade não sei.

Quanto aos outros partidos não obtive informações com exatidão sobre a possibilidade de uma candidatura local, mas essa lista pode crescer.



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais