Coluna

Fora do baralho.

Ana Maria Leal
Setembro 29/ 2017

Se alguém do PP tinha esperança de que o ex-prefeito Aylton teria algum espaço no lançamento da 20ª Seara da Canção ''Intercambiando traços culturais'', nesta sexta-feira (29), durante jantar no CTG Rincão Serrano, estava redondamente enganado.

Não que isso tivesse que ocorrer, mas era intimamente aguardado por progressistas já que o PP integra o atual governo municipal e o ex-prefeito foi o idealizador do festival.

Fato que inclusive foi mostrado no telão exibido ao público, relembrado no relato emocionado de Edir Chitolina, o Camachinho, que esteve com Aylton no surgimento do festival no ano de 1981.

Aylton não aparece no vídeo produzido para o lançamento da 20ª edição e nem foi convidado à mesa oficial.

Coube ao presidente da câmara, Estevão De Loreno, sentado à mesa das autoridades, lembrar a figura do ex-prefeito que assistia a solenidade da plateia, ao lado de Camachinho, e a quem definiu como ''meu amigo, colega, que me trouxe para a vida política''.

O prefeito Milton Schmitz, por sua vez, apesar de cumprimentar Aylton dizendo que ele é um ''eterno ex-prefeito'' deixou claro que não há vínculos políticos no festival: ''(...) a Seara não é do prefeito A, do prefeito B''.

Talvez por isso mesmo tenha ocorrido todo esse distanciamento evidenciado no lançamento e que serviu para aumentar a bem disfarçada mágoa de membros do PP com quem conversei ao final dos pronunciamentos. 



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais