Coluna Imortal, de Gremista para Gremista

A realidade como o Grêmio projetou

Agostini Nicolini
Setembro 18/ 2017

Fui um dos primeiros a dizer que o Grêmio não queria disputar o título do Brasileirão. E isso tudo, depois do jogo contra o Corinthians no primeiro turno, onde o Grêmio perdeu por um a zero em plena Arena. Naquela oportunidade, é bom lembrar, se o Grêmio tivesse saído vencedor seria o líder. Mas como na época o técnico Renato já projetava time reserva antes de jogos pela Libertadores e Copa do Brasil, ficava evidente que o time não queria a ponta da competição, pois o torcedor jamais iria aceitar time alternativo sendo líder. Para o torcedor mais apaixonado, a disparada que o Corinthians deu em relação ao Grêmio era um acaso do futebol e ele continuava a acreditar que o tricolor continuaria buscando a liderança. Mas a mim, a atitude que o Grêmio tomava, somada a diferença de postura do time entre um jogo do Brasileirão e a Libertadores, estava claro que a competição nacional era um estorvo. O mais recente capítulo deste enredo programado aconteceu domingo contra a Chapecoense. O que o Grêmio projetou está acontecendo.

SEM VONTADE PARA GANHAR

Sou contra abrir mão de competição que pode representar troféu no armário. Até posso concordar quando se tem a certeza de conquista de algo mais importante, que não é bem o caso atual do Grêmio. Nós torcedores acreditamos no título da Libertadores, mas com ressalvas e com nenhuma garantia. Por exemplo, jogando tão mal como nas últimas duas partidas do brasileirão, que garantia temos que o time será diferente na Libertadores a ponto de ser campeão ? Isso nos deixa preocupados. É evidente que o título da Libertadores é bem maior e mais importante que o título do Brasileirão. Mas quando não se tem a certeza de conquista, não se pode abrir mão de nada. Mas de qualquer maneira, o Grêmio já fez sua escolha. Não admite publicamente que abriu mão do Brasileirão, mas os resultados e desempenhos do time, como esse contra a Chapecoense, deixam claro que a equipe não está nem aí para a competição nacional. Os discursos, principalmente vindos do treinador Renato, já contagiaram os jogadores que adotaram a mesma conduta: sem vontade para ganhar em jogos do Brasileirão. Por isso, a Libertadores é uma obrigação gremista. Caso contrário, a temporada vai terminar como começou.

CONTRA O BOTAFOGO

Além da falta de vontade e entrega dos jogadores, fica notório a dificuldade que o Grêmio tem contra adversários retrancados e que jogam especulando. A Chapecoense é um dos tantos exemplos até aqui. E é bom o Grêmio ir se preparando para este jogo de quarta contra o Botafogo, pelas quartas de final da Libertadores. O Botafogo não usará uma estratégia muito diferente que a Chapecoense, principalmente porque sabe que o Grêmio tem essa dificuldade. E não é só isso. Time por time, o Botafogo é bem mais que os catarinenses e isso remete para um jogo difícil e extremamente disputado. O Grêmio certamente sabe que terá que jogar muito mais para sair classificado e para isso precisará ter muito mais vontade e garra se comparado ao jogo contra a Chapecoense. Seria muito frustrante para nós torcedores ver o Grêmio não ganhar nada neste ano, justamente na temporada em que foi eleito o time que apresentava o melhor futebol no cenário brasileiro. E o pior, ver o ano terminar em pleno setembro. 

A VIDA GREMISTA

Apesar do futebol instável e pouco confiável no Brasileirão, eu creio fielmente que o Grêmio possa eliminar o Botafogo e chegar as semifinais da Libertadores. Não tenho a certeza, mas acredito que o time terá uma outra cabeça e uma motivação bem mais empolgante. Mas essa condição passa necessariamente pela presença e a volta de Geromel e principalmente Luan. Fica claro a Luandependência. Infelizmente a ausência de Luan tem deixado o Grêmio órfão de uma jogada melhor preparada. Claro que soma-se a isso, a também saída do time do jogador Pedro Rocha, vendido ao Spartak de Moscou. O Grêmio diminuiu de qualidade justamente no momento que não poderia. Mas no futebol, mesmo com as saídas de jogadores, a vida segue e a fila anda. O Grêmio haverá de reencontrar o caminho das vitórias e esse jogo contra o Botafogo, pela importância e sequência, passa a ser o mais importante no ano. A vida gremista passa por esta partida. 

A PROPÓSITO ...

Previsão de mais de cinquenta mil pessoas no jogo entre Grêmio e Botafogo. Tá na hora do Grêmio não decepcionar o torcedor com casa cheia. Na maioria das vezes em que a casa ficou lotada, o torcedor voltou para casa decepcionado. É hora também da redenção.



(Foto: Divulgação/ Grêmio)



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais