Coluna do Tricolor de Gremista para Gremista

O resultado que o Grêmio queria

Agostini Nicolini
Setembro 14/ 2017

O RESULTADO QUE O GRÊMIO QUERIA

Evidentemente que o Grêmio gostaria de ter voltado do Rio de Janeiro com uma vitória sobre o Botafogo, mas o empate foi o resultado que o tricolor queria. Diante de tantos desfalques importantes e jogando no campo adversário, o resultado foi comemorado. Era preciso voltar vivo para o segundo jogo e esse objetivo foi obtido pelo Grêmio. O time teve uma dedicação espetacular no jogo, como o torcedor esperava. Marcou bem, diminuiu os espaços do adversário e até esteve um pouco melhor que o Botafogo nos noventa minutos. Pelo menos três jogadores se destacaram nesta partida: Kanemann, Arthur e Fernandinho. Mas ninguém jogou mais que Arthur: um jogador completo que sabe jogar, distribuir as jogadas e não erra passes. Como estão dizendo, é um cheque em branco que o Grêmio tem na mão. Os demais jogadores do time também tiveram um empenho grande e ajudaram o Grêmio a atingir o seu objetivo neste primeiro jogo. Agora tudo se transfere para o jogo de volta, na semana que vem. 

JOGO PERIGOSO

Ao comemorar o empate em zero a zero, o Grêmio sabe que um vitória simples por qualquer escore, independentemente de sofrer ou não gols em casa, coloca o time nas semifinais da Libertadores. O título começaria a estar muito no horizonte gremista. Mas o Grêmio sabe que o jogo será extremamente perigoso, pois ao Botafogo também cabe o empate em gols. Ou seja: o Botafogo pode eliminar o Grêmio sem precisar ganhar. E na pior das hipóteses, até o empate em zero não seria ruim para os cariocas, pois levaria a decisão para os pênaltis. Assim, é o Grêmio que precisa de vitória para avançar. Tudo por conta de não ter feito ao menos um gol no jogo do Rio de Janeiro. Diga-se de passagem, faz três jogos seguidos e fora de casa que o Grêmio não faz gols nos adversários. Isso que o Grêmio tinha se notabilizado por sempre fazer gols, não importando se fosse em casa ou fora. De qualquer maneira, o Grêmio precisa trabalhar e ter a mesma pegada para vencer a partida. Só a vitória é que interessa. Do outro lado, o Botafogo jogará com o regulamento em busca de pelo menos um gol. Jogo complicado e perigoso, mas acredito na força e tradição gremista, ainda mais que devem comparecer mais de cinquenta mil gremistas na Arena. 

MUITO MAIS FORTE

Ficou notório que, se o Grêmio não estivesse sem seus principais jogadores, poderia ter ganho do Botafogo. O tricolor é mais time que os cariocas. Mas isso não garante que a vitória virá ao natural no jogo em Porto Alegre. Acredito na força gremista pelas condições em que estará envolvido o jogo e principalmente pela volta dos jogadores que não atuaram na primeira partida. Geromel, Michel e Luan deverão estar presentes no segundo jogo e certamente farão toda a diferença. Time nenhum abriria mão da qualidade desses jogadores, principalmente Luan. E como o Grêmio precisará de vitória, a presença do atacante tende a tornar o Grêmio ainda mais forte e favorito. Mas a presença de Geromel e Michel também serão importantes para conter os contragolpes do adversário. Ninguém tem dúvidas que o Botafogo virá para jogar fechado e usar do contra ataque. Assim se desenha o próximo jogo, mas com um Grêmio muito mais encorpado e forte.

JOGO CONTRA A CHAPECOENSE

Em meio a ansiedade para o segundo jogo contra o Botafogo, o Grêmio se volta novamente para o campeonato brasileiro e o confronto do próximo domingo contra a Chapecoense em Porto Alegre. O Grêmio insiste em dizer que não abriu mão do brasileirão, mas fica notório a diferença na motivação que o time tem quando encara a competição nacional. Fico com  a impressão que carrego há algum tempo: o Grêmio já desistiu da competição faz horas, mas não pode falar abertamente. De qualquer maneira, se não desistiu do Brasileirão, que faça uma grande partida e ganhe do time catarinense no próximo domingo e alimente ainda a esperança de título. O momento de encurtar a diferença para o líder foi semana passada, porque neste final de semana a rodada poderá manter os sete pontos de distância do primeiro para o segundo colocado. Grêmio em casa contra a Chapecoense e Corinthians em casa contra o Vasco não dá perspectiva de tropeço de ninguém. Acho que a diferença se mantem. 

A PROPÓSITO ...

Será que o técnico Renato não poderia ter colocado em  campo contra o Botafogo o atacante Mike Arroyo e tentado ganhar o jogo ? Parece que o empate era o resultado esperado.



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais