Coluna dos apaixonados pelo Colorado

Tempo para refletir

Anderson Amaral
Setembro 05/ 2017

Do último jogo pela Série B, 25.08.17 contra o Paissandu, até o próximo jogo, dia 09.09.17, contra o Juventude, vão decorrer 14 dias. Duas semanas suficientes para que a comissão técnica, dirigentes e jogadores, reflitam sobre a campanha realizada e os desafios dos últimos 16 jogos na Série B.

Foram muitos jogos de péssima qualidade, alternados com vitórias convincentes, em especial, as últimas seis partidas.

Ao que parece, o time alcançou uma forma de jogo definida, repetindo escalações de forma sucessiva, o que poderá ser repetido na próxima partida, desde que o astro D`Alessandro apresente condições físicas, pois sofreu uma contratura muscular em jogo-treino realizado neste período sem atividades do grupo principal.

Optou a Comissão Técnica em não utilizar o time titular no jogo contra o Atlético Mineiro, pela Copa Primeira Liga, afastando a chance de alcançar a classificação para a semi final.

Não se pode condenar totalmente a decisão, pois a prioridade deste ano é o retorno para a Série A, mas face a este período sem outros jogos, o time titular poderia ter sido utilizado, com tempo suficiente para recuperação dos atletas.

O próximo compromisso no sábado dia 09 de setembro é extremamente perigoso. O Juventude que atualmente ocupa a sexta colocação precisa da vitória para tentar ingressar no grupo dos quatro primeiros colocados, além do que o líder de qualquer campeonato, sempre é o visado pelos demais.

Diante deste quadro, esperamos que estas duas semanas de treinamento tenha servido para que o time se apresente com cautela, sem oferecer chances de gol ao adversário, aproveitando os lançamentos para Damião e esforço do Sasha, este tendo se revelado de fundamental importância no ataque. Caso o capitão D`Alessandro não possa jogar, Camilo certamente o irá substituir, fazendo as vezes do articulador.

Para quem gosta e acompanha futebol, estes intervalos sem jogos são ruins, pois o bom é a competição, para que as vitórias e derrotas sirvam de assunto nas eternas discussões entre os rivais do Estado, atualmente turbinadas nas redes sociais e principalmente no aplicativo Whatssapp. 

O que seria o futebol sem a rivalidade e flauta dos torcedores? De que serviria um título sem que existissem torcedores adversários para escutarem os estampidos dos foguetes?

Essa é essência do esporte e esperamos que assim continue.

Grande Abraço. 




E-mail:
Compartilhe esta coluna em suas redes sociais