Coluna Imortal, de Gremista para Gremista

Sobrou a Libertadores ao Grêmio

Agostini Nicolini
Agosto 24/ 2017

A desclassificação nos pênaltis para o Cruzeiro já riscou uma das prioridades do Grêmio para este ano que era a Copa do Brasil. Agora só sobrou a Libertadores. A Copa do Brasil era a mais curta e mais próxima da realidade gremista, não que a Libertadores não seja, mas está um pouco mais distante e difícil. Toda a expectativa que se tinha com o Grêmio, infelizmente para nós torcedores acabou se desfazendo. Particularmente eu acreditava muito na possibilidade do Grêmio ganhar a Copa do Brasil, apesar dos alertas que sempre fiz em relação a qualidade e o nível de dificuldades que o Cruzeiro nos colocaria no caminho. Infelizmente o detalhe tirou o Grêmio de mais uma competição. No primeiro tempo o Grêmio foi muito competente, controlou bem o ímpeto do Cruzeiro e teve a melhor chance da partida, onde poderia ter aberto o placar. Mas na segunda etapa o Grêmio foi um time apático, envolvido pelo Cruzeiro e não criou praticamente nada. Vieram os pênaltis e aí o torcedor já sabia ou desconfiava do que estava reservado ao Grêmio. Infelizmente aconteceu mais uma eliminação em cobranças de penalidades máximas: a segunda na temporada.

PÊNALTIS É UM PROBLEMA CRÔNICO

Não é de hoje que o Grêmio sofre mais eliminações do que classificações em disputas de pênaltis. Trata-se de um problema crônico que já pode estar na esfera psicológica dos jogadores. São muitos pênaltis desperdiçados levando-se em consideração a qualidade dos jogadores que executaram as cobranças. Só para se ter um número, neste ano, em 27 penalidades, o Grêmio conseguiu a proeza de desperdiçar 11. De nada adiantou o goleiro Marcelo Grohe defender duas cobranças, se dois pênaltis o Grêmio chutou no poste. Na verdade o Grêmio tem um aproveitamento muito baixo em decisões por penalidades: mais perde do que ganha. Só para lembrar, em 1995 o título mundial escapou do Grêmio também em cobranças de pênaltis. Existe frustração maior do que perder um título numa condição assim ? Mas a realidade está posta e o Grêmio precisa rever essa situação, pois na sequência tem os jogos de mata-mata da Libertadores e algum deles poderá também ser decidido em penalidades máximas. Mas quem sabe, de tanto ser eliminado, na próxima o Grêmio não sai vitorioso ?

HORIZONTE AINDA PROMISSOR

Não acredito que a eliminação da Copa do Brasil possa trazer maiores traumas na sequência de disputa da Libertadores, mesmo porque faltam duas semanas para os jogos das quartas de final. Acho que aumenta a responsabilidade, pois o torcedor não vai aceitar nova eliminação logo à frente. Na prática faltam seis jogos para o Grêmio ser campeão e posteriormente ir ao mundial. Se a Copa do Brasil, que teria os jogos finais em meio a libertadores, seria um atrapalho a mais para o Grêmio, agora não tem mais desculpa. Sobrou a Libertadores e o foco deve ser mais total ainda. E se for considerado a importância do certame, a Libertadores é muito mais importante que a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Ou seja, dá para salvar o ano com a conquista de um grande título ainda possível, sem considerar que, sendo campeão da Libertadores, o Grêmio pode sonhar com o mundial. Assim, apesar da desclassificação, o horizonte gremista continua promissor.

COMO TRATAR O BRASILEIRÃO

Fora da Copa do Brasil, a pergunta que se faz é se o Grêmio deve se voltar novamente ao Brasileirão, agora 10 pontos atrás do líder. Na verdade, quando abriu mão do brasileirão, o Grêmio não contava com a eliminação para o Cruzeiro. Querer retomar a disputa pelo título do brasileirão pode ser um tanto perigosa. O esforço terá que ser redobrado para recuperar o terreno perdido e isso pode afetar o desempenho na Libertadores. Já que a escolha foi feita antes, talvez meia prematura, acho que não tem como voltar atrás. Quando der, usa os titulares no brasileirão e encara a Libertadores como prioridade. Se terminar o ano sem qualquer conquista que sirva de lição para as próximas temporadas, sendo que situações assim costumam se repetir com o tempo e a lição nunca é aprendida. Só no final poderemos ressaltar as escolhas, se foram boas ou ruins. O tempo dirá.

A PROPÓSITO ...

Dia 30 de agosto o Grêmio volta ao Mineirão para o jogo da Primeira Liga contra o mesmo Cruzeiro. Não seria a hora de colocar os titulares em ação ? Nova eliminação pode servir de motivo para algum tititi. Tudo o que o Grêmio não precisa agregar neste momento. 



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais