Coluna sobre Literatura e Português

Prosódia e Ortoépia

Maria Solange
Agosto 08/ 2017

Ortoépia trata da correta pronúncia das palavras de acordo com a sua ortografia padrão. Quando as palavras são pronunciadas incorretamente, comete-se cacoépia. É comum encontrarmos erros de ortoépia na linguagem popular, mais descuidada e com tendência natural para a simplificação. Vejamos alguns exemplos:

            ->''peneu'' (correto é  pneu); ''estrupo'' (correto é estupro); ''adevogado'' (o correto é advogado); ''rítimo'' (correto é ritmo); ''poblema'' (correto é problema); ''própio'' (correto é próprio); ''cardeneta'' (correto é caderneta); ''bicabornato'' (correto é bicarbonato); ''iorgute'' (correto é iogurte); ''admitir'' (admitir); ''mortandela'' (correto é mortadela); ''enterter'' (correto é entreter); ''entertimento'' (correto é entretenimento); ''sombrancelha'' (correto é sobrancelha); ''interviu'' (correto é interveio); ''eletrecista'' (correto é eletricista); ''femenino'' (correto é feminino); ''beneficiente'' (correto é beneficente); ''freiada'' ( correto é freada); ''reinvidicar'' (correto é reivindicar); ''cabelerero'' (correto é cabeleireiro); ''berruga'' (correto é verruga); ''salchicha'' (correto é salsicha); ''metereologia'' ( correto é meteorologia); ''supérfulo'' (correto é supérfluo); ''imundiça'' (correto é imundície); ''frustado'' (correto é frustrado); ''supertição'' (correto é superstição); ''gêmio'' (correto é gêmeo); ''tramela'' (correto é taramela); ''siclano'' ( correto é sicrano); ''bandeija'' (correto é bandeja); ''impecilho'' (correto é empecilho); ''degote'' (correto é decote); ''guspir'' (correto é cuspir); ''previlégio'' (correto é privilégio); ''entitular'' (correto é intitular); ''faixada'' (correto é fachada); ''farjuta'' (correto é fajuta); ''intersol'' (correto é terçol); ''esinteria'' (correto é disenteria); ''mendingo'' (correto é mendigo);  ''devarde'' (correto é debalde)...

             *Atenção! Há palavras em Língua Portuguesa que admitem duas formas ortográficas. Alguns exemplos: abdômen e abdome; cota e quota; cociente quociente; catorze e quatorze;  cotidiano e quotidiano; porcentagem e percentagem; botijão e bujão; assobiar e assoviar; cãimbra e cãibra; infarto e enfarte; toucinho e toicinho; champanha e champanhe; o diabetes e o diabete; vitrina e vitrine; chimpanzé e chipanzé... 

              Prosódia é a parte da fonética que tem por objeto a exata acentuação tônica das palavras. Um erro de prosódia acontece quando há mudança do acento tônico de uma palavra, isto é, há mudança de sílaba tônica. Assim, uma palavra paroxítona pode ser transformada em oxítona, por exemplo. Quando há o deslocamento do acento prosódico, dizemos que o indivíduo cometeu silabada. Vejamos alguns exemplos: 

             ->São oxítonas (última sílaba mais forte) -> ruim; cateter; Nobel; mister; ureter; condor; sutil; hangar; 

            ->São paroxítonas (penúltima sílaba mais forte) -> rubrica; ibero; austero, avaro, batavo, Bolívar, caracteres, ciclope, decano, erudito, filantropo, pudico, inaudito, misantropo, ônix, poliglota, recorde (desempenho)...

         -> São proparoxítonas (antepenúltima sílaba mais forte; todas elas são acentuadas graficamente) -> aeródromo, aerólito, década, égide, elétrodo, lêvedo, leucócito, alcoólatra, apóstata, antídoto, arquétipo, crisântemo, hieróglifo, ínterim, invólucro, pólipo, vermífugo...

           *Atenção! Há palavras na Língua Portuguesa que admitem  duas pronúncias. Alguns exemplos: acróbata e acrobata; autópsia e autopsia; hieroglifo e hieróglifo; Oceania e Oceânia; projétil e projetil; réptil e reptil; xerox e xérox; necropsia e necropsia; homília e homilia; amnésia e amnesia; boêmia e boemia; ortoépia e ortoepia...




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais