Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Novo vereador.

Ana Maria Leal
Fevereiro 19/ 2018

Alexandre Capitânio decidiu assumir a cadeira no legislativo que lhe é de direito como primeiro suplente do PP.

Sua primeira sessão foi nesta segunda-feira (19), ocasião, naturalmente, em que foi muito cumprimentado e recebeu boas vindas de todos que ocuparam a tribuna durante o espaço do Grande Expediente.

Na plateia estiveram pessoas que trabalharam na secretaria de Obras durante o período em que Capitânio foi secretário, tais como Valdir Marques de Oliveira, o Valdirzinho (PSB), e o vice-prefeito Fernando Sant´Anna (PP), que deram uma passada na câmara para levar seu apoio.  

Quanto usou a tribuna Capitânio agradeceu a todos com quem esteve na secretaria de Obras, e as boas vindas dos agora colegas vereadores. Disse que enquanto foi secretário não olhou para sigla partidária e admitiu que foi um período ''muito puxado''.

''_Vocês fizeram dezenas e dezenas de indicações, é difícil dar respaldo a todas que chegam, nem devido à questão orçamentária, mas de tempo, de mão-de-obra, então muitas vezes eu disse não, que não podia, não conseguia, que não ia fazer, é muito difícil, tem muita cobrança''.

Seu lugar na bancada foi entre o Tenente Costa (PP) e Janete Ross de Oliveira (PSB), tendo na outra ponta Ivomar de Andrade (Tomate), do PTB.

Tomate deve ter percebido que o colega precisava de um incentivo, pois pediu um aparte: ''_A segunda secretaria que eu visitei depois que assumi como vereador foi a de Obras, onde tive muita receptividade, não fui fazer pedido, fui visitar. O que está dizendo serve de referência para os demais, é uma secretaria que está interligada a todas, e digo que essa função não é pra qualquer um, por isso não precisa te constranger, dar explicações, o que fizeste enquanto estava lá foi para resolver, o mérito é seu''.

Capitânio disse que quer aproveitar a oportunidade na câmara para contar na tribuna o que fez ao longo dos 14 meses nas Obras e disse que ''para somar''.

Para a Rádio Gazeta, ao final da sessão, disse que a função de vereador está sendo uma novidade, que ''ainda fica um pouco perdido'', mas ao longo dos próximos dias estará se adaptando, tomando conhecimento de como funcionam os setores, as indicações, os projetos.

Também falou que será um vereador que não vai esconder sua opinião.

''_ Estou bem a par do que o Executivo vinha fazendo, acompanhando e sabendo o que vai acontecer futuramente, fizemos parte de base aliada, temos que dar sustentação, mas o que eu disse na tribuna é que tenho minha opinião, minha cabeça, minhas ideias, cada caso é um caso''.

Sobre ter resolvido a dúvida de assumir como vereador: ''_ Foram 812 pessoas que votaram em mim, amigos, familiares, alguns que nem conheço, depositaram voto e confiança em mim, por eles, e por outros motivos que devagarzinho a gente vai pensando, refletindo, e mudando as opiniões''.




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais